From the daily archives:

Sábado, Abril 17, 2010

PAGAR-LHE PARA QUÊ?

por Pedro Sousa em 17 de Abril de 2010

em País

O presidente executivo da Portugal Telecom, Zeinal Bava, acaba de ganhar o prémio de melhor CEO da Europa na área de serviços de telecomunicações, um galardão atribuído pela Institutional Investor, anunciou hoje a empresa norte-americana

(http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Economia/Interior.aspx?content_id=169140)

{ 10 comentários }

COM EXPECTATIVA

por Pedro Sousa em 17 de Abril de 2010

em Estado de Espírito

Entre os dias 22 e 25 deste mês, estarei aqui: Istambul

{ 2 comentários }

É A VIDA…

por Pedro Sousa em 17 de Abril de 2010

em Arouca

“Esta mania de querer parecer culto traduz um problema de carácter”, referiu José Pacheco Pereira sobre Pedro Passos Coelho em Fevereiro de 2009. O mesmo Pacheco Pereira que, igualmente em 2009, afirmou que não compreendia como é que Passos Coelho queria fazer parte das listas de candidatos a deputados de uma direcção com que não se identificava.
Ironia das ironias: Pacheco Pereira é deputado numa altura em que lidera o PSD uma direcção com que não se identifica e, mais grave ainda, sob a liderança de alguém que considera ter um problema de carácter. Perante um cenário destes, em coerência, esperava-se que renunciasse ao seu mandato. Curiosamente, tal não aconteceu. Depreendo que, afinal, o problema de carácter não será tão relevante como pensara e a falta de identificação entre os deputados e a liderança do partido até pode ser uma mais valia. É a vida

Paulo Gorjão aqui

{ 1 comentário }

PERCEBER O PSD AROUCA

por Pedro Sousa em 17 de Abril de 2010

em Arouca

Lendo o artigo no Discurso Directo de um dos principais elementos do PSD Arouca na Assembleia Municipal (Pedro Teixeira), percebe-se que a ideia desse partido sobre o Orçamento das GOP de 2010 da Câmara Municipal é:

«[...] este Presidente e seus vereadores executivos mostram-se alheados da realidade arouquense e demais forças políticas[...]»

«[...] Não houve qualquer intenção de diálogo»

«O documento é marcado por uma realidade que vai apertando e acinzentando a situação financeira do município»

«[...] sobrando alguns “trocos” para umas operações de cosmética, uns foguetes e uns brindes aos Presidentes de Junta de Freguesia que se portarem melhor…».

Dos vereadores do PSD pode ler-se noutro local que acham que «São cada vez mais e maiores as despesas correntes do Município» e que «Esbanjam-se fundos emprestados em algumas iniciativas para “encher o olho” e investe-se teimosamente em iniciativas de cunho populista».

E tendo tudo isto em consideração, o que determinou a coerência social democrata? A abstenção… ou seja, lavar as mãos sem assumir as criticas. A posição confortável de quem não quer ser confrontado com posição nenhuma.

Foi isto…

{ 1 comentário }