Acho natural que haja quem não gosta de Sócrates…

por Pedro Sousa em 27 de Novembro de 2009

em País

Acho natural que haja quem não gosta de Sócrates, não gosta da sua política, não gosta da pessoa, até quem tenha dúvidas acerca do seu carácter. Acho natural e legítimo que haja quem se empenhe em remover o actual Primerio Ministro do seu cargo quanto antes.
O que me indigna profundamente é que em Portugal haja tanta gente, mesmo pessoas com grandes responsabilidades políticas e cívicas que não olham aos meios como fazem.

[...]

Do ponto de vista jurídico, está assente que não existe matéria criminal nas escutas ao Primeiro Ministro. Sabemos, através de meios ilícitos, que nem todos os agentes jurídicos neste caso concordaram, mas isto não altera o resultado jurídico deste processo. Sobre a actuação destes agentes, há uma certeza que é a fuga da informação, em violação do segredo de justiça. Essa exige uma investigação e resposta criminal.
De resto há opiniões.

[...]

Quanto ao Primeiro Ministro, sei – não devia saber, mas sei – que há dois magistrados que o acham suspeito de um crime grave. Sendo contrariada por outra instância competente, é uma opinião sem valor jurídico, passa assim a uma opinião privada, embora de pessoas com formação jurídica e acesso a informação de que eu não disponho: as escutas.

[...]

O que não é ímoral mas ao contrário a coisa mais correcta de fazer é tomar este boato como ponto de partida para investigar o assunto. Esta investigação pode e deve ser levado a cabo pela comunicação social, pela oposição, por qualquer cidadão interessado. Ela não está restringida, como a da justiça, à questão do foro criminal.
Far-se-á não com base dos elementos de que não dispomos e não temos direito de dispôr, mas outros.

aqui

{ 2 comentários… lê abaixo ouadiciona }

1 joaquim toscano 29 de Novembro de 2009 às 20:49

“O que não é ímoral mas ao contrário a coisa mais correcta de fazer é tomar este boato como ponto de partida para investigar o assunto”…
Claro que é sempre necessário entupir o sistema para que vá funcionando seja com queixas, denúncias…, de preferência no anonimato.
De facto o termo “imoral”, se quisermos referir-nos a usos e costumes, está bem aplicado: De tanto boatar, o boato passa a verdade adquirida e ponto!!!
E o meu psiquiatra , não há maneira de acabar as férias… estou mesmo descompensado!

Responder

2 Carlos Almeida 4 de Dezembro de 2009 às 19:31

Já pensaste que em tudo que é vigarice o homem aparece associado? Ou é azarento ou alguns vivem só para lhe passar rasteiras! Partindo disso embarcamos numa tese de tramóia que( penso eu) já começa a ficar demasiado gasta, sem sentido. É que já começa a fazer lembrar o Vale e Azevedo que fez da justiça Portuguesa uma anedota( e continua…). Infelizmente o mal disto tudo é que José Sócrates não é de forma alguma um cidadão qualquer. É PM e tem responsabilidades que não se equiparam de forma alguma ao cidadão comum. Por outro lado começo também a duvidar da sua disponibilidade para o cargo de PM tendo em conta que grande parte do tempo tem de concentrar-se em resolver estes sucessivos casos, logo eu pessoalmente não acredito na sua disponibilidade(mental) para resolver os verdadeiros problemas do país.

Responder

Anterior:

Seguinte: