Do arquivo mensal:

Novembro 2007

As cópias de Portas

por Pedro Sousa em 11 de Novembro de 2007

em Sem categoria

zofcaj7b74fca2hkgpncaklq5ugcalch73ecamfmhxrca3p0v61cas34c45ca3fa0t4cange0n9cauzfo99carplwl3caqyu8×3cabtqgvyca1uk80rca2jo3yxcanpve2gcaizylsaca6uy50v.jpg 

Há uma coisa, nesta história das 61.000 fotocópias de Paulo Portas, que me intriga:

Se o que foi fotocopiado eram notas pessoais, porque é que ele não levou os originais?
Se eram coisas, na sua maioria, do CDS-PP, o que faziam no Ministério da Defesa e, mais uma vez, porque não levou os originais em vez de tirar fotocópias?

snif…snif… cheira-me a esturro!!!

{ 0 comentários }

Mais uma greve nacional (curiosamente a uma 6ª feira)

por Pedro Sousa em 11 de Novembro de 2007

em País

«Os sindicatos da Função Pública caminham alegremente para mais uma “greve nacional” – coisa a que eles ligam imensa importância e o grosso dos portugueses nenhuma. Os tempos mudaram e vão mudar ainda mais, mas há quem se obstine em não o entender. O Estado português cativa e gasta metade da riqueza produzida no país pelos que investem e trabalham. Nestes últimos três anos, a luta pela diminuição do défice tem sido assegurada unicamente com o esforço destes: o Estado continua a gastar o mesmo, enquanto exige cada vez mais ao sector produtivo do país. E o grosso da despesa do Estado tem que ver com o pagamento dos salários e reformas aos seus servidores. É claro e legítimo que os funcionários públicos gostassem de receber aumentos acima da taxa de inflação. Há uma maneira de o tentarem: largar o Estado e lançarem-se por conta própria ou no mercado de trabalho do sector privado (onde, todavia, há muita gente que há anos que não é aumentada acima da inflação). Mas, cá fora, não existe a mesma segurança laboral, a mesma facilidade de ‘baixas’, as mesmas progressões automáticas por antiguidade, as mesmas condições de aposentação. Correm-se muito mais riscos, e, por isso, umas vezes sai-se a ganhar, outras não. Como em tudo na vida, é preciso escolher: não se pode ter a segurança do Estado e a recompensa equivalente a uma carreira bem sucedida no sector privado.»

Do artigo de Miguel Sousa Tavares, este fim-de-semana no Expresso.

{ 0 comentários }

post nº 100 (festejos parte II)

por Pedro Sousa em 9 de Novembro de 2007

em Sem categoria

Para comemorar a post nº 100, decidi (momentâneamente) tornar o blog pessoal e apresentar a parte mais importante do meu dia !!

hpim1976.JPG

clickar para ampliar

{ 0 comentários }

2.000 eina… eina… (festejos parte I)

por Pedro Sousa em 9 de Novembro de 2007

em Estado de Espírito

 fire-works.jpg

 OK, agora só festejo nos 5.000 visitantes (talvez em 2017)

{ 0 comentários }

Dois recortes do “Público” de hoje

por Pedro Sousa em 8 de Novembro de 2007

em País,Repita lá?!?!?!?

«Felgueiras

“Saco Azul” cheio de esquecimentos

Os lapsos de memória continuam a marcar as sessões do julgamento do caso “saco azul” de Felgueiras. As faltas de lembrança atacaram ontem o agente comercial Carlos Santos, que vendeu o Audi A4 a Fátima Felgueiras. Depois de ter afirmado à PJ, em 2001, que a autarca tinha estado presente no stand de vendas, no dia da entrega da viatura [...] Carlos Santos assegurou ontem “Sem querer estar a mentir, não me lembro”. Garantiu que apenas se lembra de ter visto um ex-assessor da autarca.»

**********************************************************************

De um artigo de Helena Matos

«Por irónico paradoxo (ou talvez não), actualmente no sector privado em Portugal praticamente só acontecem greves quando se teme o encerramento das empresas.

As paralisações de trabalho no verdadeiro sentido do termo estão reservadas para o sector público, sobretudo nos serviços aos quais os cidadãos não podem deixar de recorrer. Ou seja, os utentes, que por sinal também são contribuintes, sustentam as chefias “rigorosas” e os chefiados “revoltados”. Por outras palavras, o transbordantemente optimista slogan “Os ricos que paguem a crise” deu lugar a um não verbalizado, mas sem dúvida incontornável “Os contribuintes que paguem a crise”»

{ 0 comentários }

Exemplo de vida e de coragem…

por Pedro Sousa em 6 de Novembro de 2007

em Sem categoria

[kml_flashembed movie="http://www.youtube.com/v/PYW0TL8qov8" width="425" height="350" wmode="transparent" /]

{ 0 comentários }

Futurologia…

por Pedro Sousa em 6 de Novembro de 2007

em Estado de Espírito

369124.jpg

A minha previsão do tempo para o Natal… (a continuar assim) 

Céu limpo.
Vento fraco a moderado (10 a 30 km/h) predominando de leste, soprando
temporariamente forte (30 a 40 km/h) nas zonas terras altas do Norte
e Centro.

TEMPERATURAS MÁXIMAS PREVISTAS:

PORTO – 23ºC
LISBOA – 24ºC
FARO – 23ºC

{ 0 comentários }

Juntas Médicas

por Pedro Sousa em 6 de Novembro de 2007

em Sem categoria

Fernando Alves é, para mim, um dos mais extraordinários comunicadores de rádio do país. Entre outros, todos os dias, na TSF apresenta-nos SINAIS.

Sobre as últimas das Juntas Médicas, teve o seguinte comentário hoje (dia 06/11) que acho genial.

http://www.tsf.pt/online/common/include/streaming_audio_radio.asp?audio=/2007/11/noticias/06/sinais6.asx

{ 0 comentários }

idiota.gif

Fotografar é Crime!!! No passado dia 28-10-2007, Domingo, fui preso por andar a fotografar!!! Andava a fotografar Carrosséis e Carrinhos de Choque na Feira de Faro e fui preso!!!

Durante a semana passada realizou-se, em Faro, a Feira anual de Outubro. Quase todos os dias dessa semana, após sair do emprego, fui à Feira de Faro para fotografar Carrosséis e outras coisas com cor e movimento, que são próprias das Feiras. Mas não sabia que era CRIME!!! Um daqueles Pseudo Polícias da Empresa de Segurança Privada PROSECOM, achou estranho eu ir todos os dias para a Feira de máquina fotográfica a tiracolo, e à vista, e passar algumas horas a fotografar Carrosséis, Carrinhos de Choque e Barracas de Farturas, entre outras coisas. Ontem chamou a Policia de Investigação Criminal de Faro que, após se identificarem (eram dois), usaram da habitual e conhecida brutalidade policial e, algemado, me levaram para a Esquadra da Policia de Segurança Pública de Faro. Passei quatro horas na Esquadra a ser interrogado, fotografado e onde me tiraram as impressões digitais. A razão para essa prisão de que fui alvo é de que supostamente eu estaria a fotografar crianças. Por isso, agora sou um Pedófilo Fotográfico.

Apreenderam-me a máquina fotográfica e os cartões. Estou agora constituido como Arguido e com Termo de Identidade e Residência, como agora é xique dizer-se. Vivemos num país onde é crime fotografar Carrosséis e Carrinhos de Choque!!!

Existe actualmente, em Portugal, uma PARANÓIA com as máquinas fotográficas e com os fotógrafos!!! Voltámos aos séculos da Idade Média onde se queimavam pessoas por Bruxaria. É a nova Caça às Bruxas. Hoje em dia, em Portugal, não se pode apontar uma máquina fotográfica a um Edifício. Somos terroristas!!! Não se pode apontar uma máquina fotográfica a pessoas em LUGARES PÚBLICOS. Somos Pedófilos!!! Já não se pode fotografar Fauna e Flora em alguns Parques Naturais. E qualquer dia tenho de começar a pedir o Bilhete de Identidade às Abelhas e aos Gafanhotos, para saber se são menores de idade!!!

O n.º 2 do Artigo 79.º do Código Civil estipula que “não é necessário o consentimento da pessoa retratada quando assim o justifiquem a sua notoriedade, o cargo que desempenham, exigências de polícia ou de justiça, finalidades cientificas ou culturais, ou quando a reprodução da imagem vier enquadrada na de lugares públicos, ou na de factos de interesse público ou que hajam decorrido publicamente”. Isto é o que diz a lei. Mas ao que parece a lei já não é o que era!!!

Assim, a FOTOGRAFIA é forma de ARTE mais perigosa que conheço. Inclusive, há fotógrafos que são mortos no desempenho da sua Arte/Profissão. Milhões de Fotógrafos, Profissionais e Amadores, que todos os dias fotografam PESSOAS em LUGARES PÚBLICOS são CRIMINOSOS!!!
 

daqui: http://olhares.aeiou.pt/crime__fotografico_no_9/foto1558064.html

****************************************************************

O prémio é atribuido quer ao segurança quer à PSP de Faro. Eventualmente, já com o caso Maddie arrumado, tiveram ed arranjar alguma coisa para se entreter.

{ 2 comentários }