A “novela” da Via Estruturante*

por Pedro Sousa em 8 de Dezembro de 2010

em Arouca

A última referência à obra importante para Arouca veio no Discurso Direto (*de onde é retirado o título deste post) da última sexta-feira.

Sobre o seu conteudo, o seguinte:

Tem de se fazer justiça ao CDS-PP Arouca, dado que tem apresentado a proposta de inclusão no PIDDAC da Via Estruturante. Apesar de saber que essa proposta será apenas para “inglês ver”, não se demite desse compromisso.

O PS está numa posição bem mais complexa… Com dificuldade em dar seguimento à promessa efetuada por José Sócrates em Arouca, segue a linha de orientação do Governo e do ministro das finanças quanto à contenção e não aprova tal inclusão. Apesar de ciclicamente ir assegurando que se busca uma solução, o PS continua em falta com Arouca no que diz respeito à Variante (apesar do Governo ter efetuado enormes investimentos no concelho nos últimos anos, a variante é efetivamente o investimento que mais procuramos). E os arouquenses devem continuar a exigir isso do Governo e do PS. Há que dizê-lo com frontalidade, como alguém diria…

Novidade é o argumento do PSD. Não podem fazer mais porque não são Governo e, portanto (na linha do que faz habitualmente) absteve-se. Mesmo sabendo que o seu voto a favor seria determinante, mesmo com Passos Coelho a dizer que incluir a obra no OE não seria grande problema, absteve-se. Não pode fazer mais do que abster-se? Que tal votar a favor? Já seria fazer mais, não?

Acusa-se a Câmara por não ser mais ativa e depois abstem-se?

Nota adicional para o facto da notícia ter ignorado (retiro do texto) qualquer comentário das estruturas municipais do PCP e do PS. Começa a ser sintomático e, a meu ver, injusto.

No caso do PS, independentemente da opinião que se possa ter da estrutura local, a verdade é que esta recebeu quase 9000 votos nas últimas autárquicas. Apesar de não fazer parte do clube dos que fazem de tudo para aparecer nos jornais, parece-me ser uma estrutura a ter em conta.

{ 7 comentários… lê abaixo ouadiciona }

1 Observador 9 de Dezembro de 2010 às 13:33

“Há que dizê-lo com frontalidade, como alguém diria…”

Nota-se a tua frontalidade no último parágrafo…

De resto um belo eufemismo para justificar as trapalhadas do PS, Eça de Queiroz não faria melhor…

Engraçado como pegas num assunto em que o PS é o único e principal responsável e só criticas o PSD. Natural, há que manter a regra e o nível do blog…

Responder

2 Pedro Sousa 21 de Dezembro de 2010 às 0:10

Caro Observador,

O post diz que o PS é quem está em posição mais difícil e que está em falta com Arouca. Como é possível dizer que só critico o PSD?

Responder

3 F Santos 16 de Dezembro de 2010 às 8:54

Caro,

tens toda a razão no que dizes sobre a abstenção do PSD. Aqui de acordo.
Mas não achas que já vai sendo hora de o PS Arouca e o elenco camarário assumirem as suas responsabilidades neste assunto?
A inércia com que este assunto, aparentemente, vem sendo tratado pela Câmara começa a enervar. Não fossem as iniciativas a título pessoal do Pedro Magalhães (e onde tu participaste, entre outros) no sentido de reavivar a memória de quem nos enganou e pouco se ouvia da variante.

De cada vez que escreves aqui sobre o assunto é só para tentar encontrar bodes expiatórios e justificar a apatia da câmara. Se o governo é PS e a câmara também, se o Eng Neves recebeu Sócrates como grande amigo, se até a missa queriam interromper para o PM falar, julgo estarem mais que reunidas as condições para a obra avançar.
Se não avança, mesmo depois da enésima promessa (e esta ao vivo e a cores e com toda a cara de pau), só por manifesta imcompetência se pode justificar.

Responder

4 Azevedo 19 de Dezembro de 2010 às 12:42

Os socialistas não devem nem sequer abrir a boca, se têm vergonha na cara! Nem adianta ser retroactivo e ”escarrapachar” tudo o que foi dito, e feito, sobre a Variante… Façam é alguma coisa para cumprir aquilo que prometeram a quem vos elegeu…

Responder

5 José Ferreira 20 de Dezembro de 2010 às 14:40

Sobre o PSD, toda a razão. Estranha-se o silêncio do PSD local, em relação ao chefe deles. Faz-nos ficar com a ideia de que a alternativa que tanto necessitamos em relação ao hipócrita do Sócrates (sim, era com este nome que o nosso presidente da Câmara deveria referir-se a ele, e por inerência toda a bancada do PS municipal), só o pode ser porque estamos a meu ver, numa necessidade desesperada de mudança.
Acho estranho, esta tua procura por bodes expiatórios como diz o F.Santos, e não assumes a tua quota parte de culpa, já que estás num cargo político de algum peso sobre esta matéria (já não digo do presidente da Câmara, pois essa assunção já passou do prazo de validade).
Isto mostra-nos como somos pequeninos, não na terra onde moramos, que essa é enorme, mas neste comportamento infantil de falhar e apontar o dedo a outro.

Responder

6 Pedro Sousa 21 de Dezembro de 2010 às 0:06

Caro José Ferreira,

Não me parece que quer o Presidente da Câmara que o PS local tenha que fazer qualquer assumpção de culpa. Ambos tudo fizeram (e farão) para conseguir a obra e foram ludibriados por aqueles a quem confiaram a resolução da questão.

Perante toda a informação que foi sendo dada quer a Artur Neves quer ao PS Arouca, as atitudes foram as indicadas e ainda não vi indicar nada que indicasse em contrário.

Responder

7 José Ferreira 25 de Dezembro de 2010 às 11:30

Anterior:

Seguinte: