A RECORDAR O LIDER MADEIRENSE

por Pedro Sousa em 17 de Setembro de 2009

em País

O Programa do Gato Fedorento, relembrou bem a hipocrisia daquele que o PSD acha um dos seus principais quadros. Alberto João Jardim disse sobre Manuela Ferreira Leite:

“A candidatura da Dra. Manuela Ferreira Leite é a candidatura de quem quer deixar tudo na mesma e dos que querem que Sócrates ganhe as eleições.”

Considerando que Manuela Ferreira Leite considera Jardim um exemplo, cada um tire as suas ilacções.

{ 13 comentários… lê abaixo ouadiciona }

1 Sérgio Gomes 17 de Setembro de 2009 às 9:57

Fiquei curioso com essa afirmação, e como não me lembro de em momento algum ter ouvido do lider madeirense tal consideração, fui ao Google pesquisar… E por surpresa minha, o unico sitio onde aparece esta frase é neste Blog… Cuidado com a gestão da Informação, e cuidado com o que se atira para o ar… as vezes cai em cima….

Responder

2 F Santos 17 de Setembro de 2009 às 10:19

Caro Sergio Gomes
não era preciso ir ao Google, o homem disse isso e passou nos telejornais da altura e o Gato Fedorento voltou a exibir essa afirmação.
O Pedro Sousa esqueceu-se de mencionar que isso foi na altura da eleição para presidente do PSD, quando naturalmente alguns são contra e outros a favor da MFL. O mesmo se passou com João Soares e Manuel Alegre quando concorreram contra Socrates para SG do PS. Todos tiveram afirmações contra Socrates e nem por isso o Pedro Sousa fez post desse assunto aqui no seu blog.
Alias, hoje em dia ainda Manuel Alegre se manifesta contra a politica de Socrates e o Pedro Sousa não se manifesta sobre isso. Mas fazer post sobre Manuel Alegre não interessa ao Pedro Sousa, como se nota.
Tambem podia mencionar as afirmações de Antonio Jose Seguro, destacado lider socialista, muitas vezes a criticar o PM e as suas politicas, mas isso não interessa. Aqui interessa atacar o PSD, porque a corda começa a apertar.

Responder

3 Ana Camacho 17 de Setembro de 2009 às 11:35

Caríssimos,

Eu não costumo opiniar sobre política porque deixo isso aos entendidos, ou supostos entendidos na matéria mas não gosto que digam “mal” da minha região e principalmente dos madeirenses.

Como já devem ter percebido eu sou Madeirense e não aceito que provoquem as nossas opiniões e as nossas escolhas. A Madeira é das regiões senão a região que mais se desenvolveu nos últimos 20/25 anos em Portugal.

Sim, eu sei que também me vão dizer que a Madeira recolheu muito ou demasiado dinheiro de Portugal para esse desenvolvimento mas ao contrário de outras regiões soube aproveitar essas verbas e desenvolver-se.

Eu tenho amigos em Arouca e por diversas vezes já passei fins-de-semana em casa deles e digo com todas as letras “Dera a Arouca ter um líder como o Dr. Alberto João Jardim para a desenvolver e colocá-la no topo das regiões mais desenvolvidas, na lista das melhores cidades europeias, no destino turístico de eleição para muitos paises Europeus e Mundiais”.

Vão à Madeira vejam o desenvolvimento tecnológico, a cultura, a rede de estradas, o aeroporto, os portos turísticos e industriais,os hospitais, as escolas, as instalações das forças policiais, os hoteis, os eventos turísticos e então depois reflitam sobre o porquê dos madeirenses confiarem no Dr. Alberto João.

Não critiquem as pessoas por aquilo que elas dizem mas critiquem por aquilo que elas não fazem.

Responder

4 Pedro Sousa 17 de Setembro de 2009 às 12:06

Cara Ana Camacho,

Antes de mais, obrigado pelo interessantissimo comentário. Deixe-me acrescentar que, ao contrário, eu sou um arouquense que vai muitas vezes à Madeira, até porque a empresa onde trabalho tem aí negócios.

Julgo que nunca encontrou aqui criticas às pessoas da Madeira. Ninguém falou mal da sua região, da mesma forma que falar mal de Sócrates, por exemplo, não é falar mal de Portugal.

No entanto, a Madeira tem – na minha opinião, tal como muitas que se podem ter quando se vive num país sem qualquer tipo de asfixia democrática – um líder que envergonha a região.

A um líder politico exige-se obra, é verdade, mas exige-se também educação, postura e um comportamento que o distinga dos restantes cidadãos. A figura de Presidente de um Governo Regional não é um inimputável que pode dizer que lhe apetece. Pode pensá-lo, mas não pode verbalizá-lo esquecendo o cargo que tem.

Por muito desenvolvimento que a Madeira tenha tido (que é evidente e inegável… apesar de deixar sempre no ar a pergunta de se não o teria mesmo sem AJJ) isso não desculpa a brejeirice, os palavrões, o ar por vezes quase alcoolizado de AJJ.

Num politico o que se diz e o que se faz, devem andar lado a lado. Mesmo que possam desdizer-se em força das circunstâncias, devem saber fazê-lo com elevação.

Alberto João Jardim representa, para mim, o pior que um politico pode ser. Tal, como por exemplo, Fátima Felgueiras no continente.

Arouca ter um Alberto João Jardim??? Por favor… não nos insulte :-)

Responder

5 Pedro Sousa 17 de Setembro de 2009 às 12:13

Caro Sérgio,

O F Santos já lhe explicou, mas eu vou mais longe e deixo-lhe o link para que veja e ouça com os próprios olhos. E mais, onde AJJ diz que o “rectangulo” é ingovernável, mesmo pelo PSD http://sic.sapo.pt/online/video/programas/gato-fedorento-eleicoes/2009/9/a-melhor-maneira-de-um-politico-evitar-cometer-gafes-e.htm

Caro F Santos,

Lanço-te o desafio de encontrar algum local onde um critico de Sócrates (ou outro líder do PS) diga que a vitória do outro é dos que querem que o outro lado ganhe.
A critica é saudável (veja que Alegre esteve em Coimbra com Sócrates num comício, porque somos um partido que não penaliza o delito de opinião). Sempre houve nos partídos democráticos.
Agora, é preciso medir a critica e a que AJJ é um ataque brutal à MFL, onde ele claramente a identifica sem capacidade para líderar as mudanças que o país precisa. Se fosse criticar dizendo que MFL não tinha o que era preciso para mudar o PSD, era uma questão de luta interna. O que AJJ diz tem um alcance muito maior

Responder

6 F Santos 17 de Setembro de 2009 às 12:52

Ora vamos por pontos:
1-”um líder que envergonha a região.” Envergonha porque o PS anda há 25 anos a tentar ser governo na Madeira e não consegue. PORQUE O PAÍS É LIVRE E VOTA EM QUEM QUER.
2-”Por muito desenvolvimento que a Madeira tenha tido (que é evidente e inegável… apesar de deixar sempre no ar a pergunta de se não o teria mesmo sem AJJ”. Pois, aqui também posso dizer se não estaríamos melhor se o Sócrates não fosse PM. É das tais coisas…
3-”o ar por vezes quase alcoolizado de AJJ. ” Isto não é um ataque pessoal? O Sec-Geral do PS devia instruir os seus militantes a não entrarem neste tipo de comentários! Ah, mas isso só se aplica ao PSD, o PS pode fazer o que quiser….
4-”Mesmo que possam desdizer-se em força das circunstâncias, devem saber fazê-lo com elevação.” Ou seja, para o PS a forma é mais importante que o conteúdo. Podemos mentir e enganar à vontade, desde que seja com elevação.
5-”A critica é saudável (veja que Alegre esteve em Coimbra com Sócrates num comício, porque somos um partido que não penaliza o delito de opinião). ” Não percebi: o AJJ foi penalizado por criticar MFL? O vosso partido é espectacular, já sei, mas não é diferente dos outros neste e noutros aspectos.
6-Alegre esteve em Coimbra porque é um grande homem e a sua presença foi por livre e espontânea vontade, não por outro motivo. E não te esqueças que segundo um jornal desta semana, Alegre pode valer 1 milhão de votos. Por isso, Sócrates deve ter dado pulos de alegria pela presença de Alegre e não o contrário, pois já conhecemos as diferenças de fundo entre ambos.

Não consigo perceber porque criticam AJJ. O homem é eleito democraticamente, tem obra, etc. O PS não gosta dele porque é incómodo e não é PS, mais nada. Porque é que o governo, continuando o ataque à Madeira, não acaba com o offshore da ilha? Ah, porque se calhar aqui valores mais altos se levantam para interesse do estado e do continente, não é verdade? Pois…

Responder

7 Pedro Sousa 17 de Setembro de 2009 às 13:14

Caro F Santos,

1º Envergonha a região não é por ganhar… é, por exemplo, por chamar “filhos da pu**” a jornalistas ou “cubanos” aos continentais. A não ser que aches isso normal. Eu confesso que envergonha… tal como me envergonha que um ministro faça cornos a um deputado. Por isso, foi bem demitido. Fizesse o PSD o mesmo aos deputados que mandam o PM para o caral** em plena Assembleia. O facto do povo o eleger, não quer dizer que eu tenha de gostar. Tal como, por exemplo, Isaltino, Felgueiras ou Ferreira Torres. São pessoas que envergonham a democracia portuguesa. Obvimante, como tudo o que escrevo, na minha humilde opinião.

2º verdade… podes dizê-lo. E?

3º O Secretário Geral não dá ordens aos militantes. Não sei se é algum hábito do teu partido. No nosso, os militantes são livres de dizer o que quiser, desde que dentro da educação. E acho, por vezes, que AJJ parece – nalgumas festas – não estar totalmente sóbrio.

4º Não, a um politico dou o direito de se desdizer, se as circunstâncias asim o exigirem e for justificável (sendo que sê-lo ou não, pode para uns ser e para outros não). O facto de alguém se desdizer não significa que tenha mentido. Podia estar convicto quando o disse e estar convicto agora. Por exemplo, antes da crise era lícito dizer que acreditava ir criar emprego, e agora é lícito dizer que é difícil criar.

5º O nosso partido é espectacular, dizes tu. Eu concordo… acho-ol orientado por principios melhores que os restantes. Pessoas boas e más existem em todos.

6º Dizes que Alegre é um grande homem, depois falas nos votos. Achas que um grande homem se submetia a isso? Acho que ele lá esteve porque, apesar de muitas discordâncias, acredita que José Sócrates é o melhor elemento para fazer Avançar Portugal. Um grande homem não fará coisas politicas tácitas, ou deixaria de ser um grande homem, não? Pelo menos, como eu entendo o “grande homem”

7º Repito o que já disse… a critica a AJJ não tem nada a ver com ganhar (obviamente eu preferia que ele perdesse). Tem a ver com o facto da personagem reflectir tudo aquilo que acho negativo num politico: arrogante, mal educado, que abusa do poder, não cumpre a lei e acha isso muito bem, chama nomes aos portugueses continentais e jornalistas. Pergunta: quando foi a ultima vez que viste um debate entre AJJ e alguém da oposição? Mesmo em época de eleições?
Alberto João Jardim não é, para mim, muito diferente de Ferreira Torres. E olha que o Ferreira Torres já viste a dar pontapés em placards porque a TV funciona livremente… na Madeira, se isso acontecesse, por ventura já tinhas visto AJJ a atirar pedra a algumas pessoas. DIgo eu…

Responder

8 F Santos 17 de Setembro de 2009 às 13:40

1-Registo com agrado que não tens argumentos sobre se seria possível Portugal estar melhor sem Sócrates; limitas-te a perguntar E?; eu percebo, é dos nervos; mas admites que a Madeira poderia ser melhor sem AJJ. Coerente.

2- Eu nã0 disse (lê outra outra vez o coment anterior) que o teu SG dava ordens; as ordens que ele dá é só para mandar tirar do ar os telejornais da TVI, disse que, por comparaçã0, fica muito ofendido com ataques pessoais, mas nã0 se importa que os façam. E estás enganado quanto ao PSD neste aspecto. Se há liberdade é no PSD, como este post confirma.

3- Pois, ganhar eleições a prometer uma coisa e depois fazer outra, na perspecitva socialista, nã0 é mentir, é desdizer-se. Soft. Prometer baixar impostos e aumentá-los quando se toma posse não é mentir, é desdizer-se. Esta é boa. Mas mesmo assim, podendo enganar-se e aos outros, nã0 admitir sequer que se errou é de uma honestidade….

4- Alegre é um grande homem porque é socialista acima de tudo. E mesmo não concordando com Sócrates quer que o seu partido, do qual recordo-te é co-fundador, ganhe as eleições. isto apesar das políticas praticadas por JS sejam muito distantes das que levaram à criação do PS. Mas se calhar é melhor não falar em Alegre porque está visto que vos enerva.

Pedro, tem calma! Isto da política ainda te dá problemas de saúde!

Responder

9 Pedro Sousa 17 de Setembro de 2009 às 23:02

Caro F Santos,

1 – Não percebo o ponto 1. Considerando que não faço futurologia, é lícito aceitar que é possível que alguém pudesse fazer melhor. Não dos que conhecemos no panorama actual de candidaturas, mas “alguém”, eventualmente. É La Palisse. Sei lá se António Costa, António José Seguro ou outro socialista não poderia ter feito melhor? :-)

2 – Porque dizes que Sócrates não se importa que façam ataques pessoais? Olha que quando Manuel Pinho fez os cornos, foi logo dispensado. Enquanto que o deputado que o mandou para o caral** continua na bancada parlamentar do PSD e nas listas a deputados para esta legislatura

3 – Já disse o que tinha a dizer sobre esse tema, quer em comentários quer em posts.

4 – Alegre não enerva nada. Discordo que muitas das suas últimas posições, mas continua a ser um bem precioso do PS

Responder

10 Ana Camacho 17 de Setembro de 2009 às 14:14

Viva,

Não compreendo como diz que não está a “atacar” o povo madeirense quando está a por em causa a escolha que o povo fez democraticamente ao releger o Dr. Alberto João durante todos estes anos.

O Dr. Alberto João por vezes não sabe se expressar da melhor forma mas compará-lo à Dra. Fátima Felgueiras ou outros srs da política com processos em curso em tribunais por “extravio de dinheiro” ou por “contas mal geridas” é insultar o Dr. Alberto João que sempre deu o máximo para recolher verbas para melhorar e evoluir o arquipélago.

Se para si ser político é saber dizer as coisas da forma “politicamente correcta” e não fazer nada pelo seu povo e pela sua região, então o Dr. Alberto João não é político.

Se para si ser político é defender a sua região de “ataques” consecutivos (que só surgem por interesses políticos e não em benefício da população), desenvolve-la e trazer prosporidade ao seu povo então o Dr. Alberto João é político.

Pelo que percebi dos restantes comentários o Sr. não é da mesma “tonalidade” do Dr. Alberto João … pelo que questiono o que acha do que o PS está a fazer para a CM do Porto, colocando uma Sra que foi eleita para representar o país ao nível europeu e que afirma que não deixará Bruxelas para ser vereadora da CM caso não ganhe as eleições?

Acha que isto é politicamente correcto? São estes os políticos que devemos eleger? Os que têm mais interesse no seu bolso do que no seu povo? Sim porque a Sra afirmou que “como não tem rendimentos por ser vereadora que não deixa Bruxelas para o ser”?

Responder

11 Pedro Sousa 17 de Setembro de 2009 às 22:53

Cara Ana Camacho,

Não concordo nada com o facto de criticar o Presidente do Governo Regional ser criticar os madeirenses. Criticar Cavaco é criticar os portugueses? Quando um líder partidário critica Sócrates, fala mal dos portugueses? Acho que não faz qualquer sentido. Agora, a escolha de AJJ, claro que critico. O facto da escolha ser democrática, não me retira o direito de critica.

Para mim, ser político é fazer muito pela terra que se defende e manter a elevação que o cargo exige. Tentar vender-me que por fazer obra, pode ser mal educado, petulante, cometer ilegalidades e afim, não faz qualquer sentido.

Não, não sou da mesma tonalidade de AJJ. Mas pelos meus princípios, mesmo que fosse, não achava tolerável que se chamasse filhos da pu** aos jornalistas e seguir sem sanção. Sobre Maria Elisa no Porto, apesar de achar que é uma excelente candidata à Câmara do Porto, tenho de reconhecer que acho mal que seja candidata à Câmara, pouco tempo depois de ser eleita euro-deputada.

Responder

12 F Santos 18 de Setembro de 2009 às 9:21

Só uma correcção: o Manuel Pinho, antes de ser dispensado, dispensou-se…

Responder

13 Pedro Sousa 17 de Setembro de 2011 às 12:12

Olha, a ler estas coisas antigas e a associar o report do INE e do Banco de Portugal…

Responder

Anterior:

Seguinte: