From the daily archives:

Segunda-feira, Setembro 28, 2009

AS LEGISLATIVAS EM AROUCA

por Pedro Sousa em 28 de Setembro de 2009

em Arouca

O PSD sempre foi o partido mais votado em Arouca, e continuou a ser. Ainda assim, o PSD Arouca é um grande derrotado desta campanha eleitoral, que várias vezes trouxe o cabeça de lista por Aveiro a Arouca e que, inclusivé, contava com um deputado Arouquense nas listas. As apostas eram fortes.

O PSD nacional creceu pouco, mas cresceu. O PSD Arouca teve uma queda de quase 10 (dez) pontos percentuais, quase menos 1.300 votos. O que levará uma estrutura local a ir em contra-ciclo com a (pouca) dinâmica nacional?

O PS Arouca julgo que se poderá sentir satisfeito. Obviamente, que o que se pretende é cada vez mais votantes. Mas considerando que o PS a nível nacional caiu quase 9 pp, o PS Arouca caiu apenas 1,22 pontos percentuais. Significa que o trabalho do PS no concelho foi intensivo e conseguiu segurar grande parte da sua base eleitoral. Apenas foram menos 171 votos.

Além disso, o PS em 2005 ganhou apenas em 2 freguesias e nestas eleições ganhou em 5 (Burgo, Cabreiros e Chave, juntaram-se a Moldes e Albergaria)

Espero que o PS se proponha agora capitalizar toda essa base para afirmar o partido de forma ainda mais forte no concelho.

Aproveito para dar os parabéns à recém formada JS Arouca, que tem dado importante contributo à campanha, atrainda jovens para a política e, em especial, obviamente, para o Partido Socialista. Quando a juventude se empenha na politica, é o país que sai a ganhar.

Em Arouca, o PP acompanhou o que aconteceu a nível nacional crescendo mais de 5 pp, com mais 680 votos. Vamos ver se o efeito Paulo Portas se mantém nas autárquicas. Esperemos que não.

Deixo aqui os nomes dos deputados eleitos por Aveiro:

PS:

  • Maria de Belém Roseira Martins Coelho Henriques de Pina
  • Luís Afonso Cerqueira Natividade Candal
  • Sérgio Paulo Mendes de Sousa Pinto
  • Rosa Maria da Silva Bastos da Horta Albernaz
  • Vítor Manuel Brandão de Sousa Fontes
  • Carlos Filipe de Andrade Neto Brandão
  • PSD

  • António Fernando Couto dos Santos
  • Ulisses Manuel Brandão Pereira
  • Maria Paula da Graça Cardoso
  • Amadeu Albertino Marques Soares Albergaria
  • Paulo César Lima Cavaleiro
  • Carla Maria de Pinho Rodrigues
  •  Luís Filipe Montenegro Cardoso de Morais Esteves
  • PP

  • Paulo Sacadura Cabral Portas
  • Raul Mário Carvalho Camelo Almeida
  • BE

    • Pedro Filipe Gomes Soares

    { 12 comentários }

    A GRANDE VITÓRIA DO PS – Nacional

    por Pedro Sousa em 28 de Setembro de 2009

    em Arouca,País

    Depois de uma noite que foi o culminar de uma campanha árdua e difícil – sim, porque o PS não tem a arrogância de achar que não necessita de campanha – os resultados de ontem fizeram com que tudo valesse a pena.

    O Partido Socialista recebeu um mandato inequívoco para liderar o país com o seu programa. Os portugueses pretenderam também que esse programa tenha que procurar o apoio de outras forças parlamentares. E assim será… julgo que o medo da instabilidade, dada o abismo de diferença entre PS e a 2ª força mais votada, não se coloca tanto como se temia.

    Partido Social Democrata

    O PSD, e em particular a sua líder, são os grandes derrotados desta noite eleitoral. Com uma descida acentuada do PS, foi incapaz de perceber o eleitorado e fazer com que este captasse a sua  mensagem. Provavelmente, tal como muitos disseram, porque não tinha mensagem para passar.

    O PSD não conseguiu crescer sequer um ponto percentual, comparativamente com as últimas eleições legislativas. A prova mais que evidente que não percebeu nada do que se tratava nestas eleições e que a Verdade apenas dá votos quando verdadeiramente se pratica.

    Manuela Ferreira Leite é derrotada em toda a alinha, beneficiando de uma crise económica sem precedentes, do apoio da máquina de Belém, de uma vitória nas europeias, do apoio da comunicação social e da campanha negra contra José Sócrates, ficou com o 3º pior resultado de sempre do PSD (pior só em 76, 83 e 2005).

    Aqueles que nas Europeias concentraram em Manuela Ferreira Leite toda a responsabilidade da vitória, serão agora os primeiros a exigir a sua saída. Aliás, já se leu ontem, por blogs e twiter, que o povo é que é ingrato, estúpido e não percebeu. Ou como disse essa grande referência do PSD e de MFL, Alberto João Jardim, o povo enlouqueceu.

    Outros derrotados, são, claramente, Pacheco Pereira, Alberto João Jardim (a nível nacional. Na Madeira teve grande vitória), Maria José Nogueira Pinto (responsavel pela declaração hilariante da noite) e Mário Nogueira da FENPROF.

    Além disso, o PSD parece ter abdicado de fazer oposição, insistindo na expectativa do que irá o Presidente dizer, à espera que saia dali a explicação para o desaire. Foi o povo, caro Pacheco Pereira. O povo.

    Partido Socialista

    Muito dificilmente um primeiro-ministro teria sobrevivido a todas as campanhas pessoais de que foi alvo, à maior crise financeira mundial dos últimos 80 anos, ao maior aumento do preço dos combustíveis dos últimos 35 anos, ao maior aumento de preços de produtos agrícolas de que há memória e, convém não esquecer, à maior coligação de interesses corporativos contra um governo. Mas sobreviveu…

    Sobreviveu porque mostrou aos portugueses que o PS defende a atitude certa e consubstancia essa atitude em medidas que ajudarão o país a crescer e que, anterioremente, nos levava no sentido certo até sermos abalados pela crise mundial.

    Como a memória não é curta, recordemos o pós-europeias onde uma sondagem dava o PSD à frente do PS. Sim, foi daí que o PS partiu e trabalhou incansávelmente. O PSD crescia 7 pontos nessa sondagem. E o PS, que respeita as sondagens (ao contrário de outros) meteu mãos ao caminho a explicar do que se tratava nestas eleições, sabendo fazer passar a mensagem.

    José Sócrates merece esta vitória mais do que ninguém, pois foi alvo de toda a campanha negativa que se conseguiu fazer (e presumo que continuarão a fazer).

    CDS-PP

    Paulo Portas é um resistente… e é o claro vencedor da noite eleitoral. Um crescimento inesperado (a olhar para as sondagens) mas no qual os centristas sempre acreditaram. Mais 9 deputados é obra.

    BE

    O bloco de esquerda capitalizou bem o descontentamento à esquerda e, portanto, é também um dos vencedores. Apesar das expectativas estarem acima do que se veio a verificar, a verdade é que passou a ser a 4ª força política e tem hoje o dobro dos deputados (16)

    PCP

    Já todos nos habituamos a que o PCP nunca perde. Está no ADN do partido esse pressuposto. Assim, ter passado de 3ª para 5ª força politica não é uma derrota, porque ajudou a tirar a maioria ao PS e porque teve mais 14.000 votos que em 2005. Tem de se admirar a análise…

    Agora, vamos fazer ganhar Portugal.

    { 13 comentários }

    POST TELEGRÁFICO

    por Pedro Sousa em 28 de Setembro de 2009

    em País

    E agora Sr. Primeiro-ministro? Vamos ao trabalho, todos, o mais que imagespudermos, vamos ao diálogo e a determinação, vamos avançar. Foi para isso que lhe demos, de novo, a nossa confiança.

    (a esta hora fica esta citação. Amanhã desenvolvo)

    { 0 comentários }