A VERDADE A IR AO FUNDO

por Pedro Sousa em 22 de Outubro de 2009

em País

Miguel Fraquilho, deputado e porta-voz para a economia do PSD, passa a vida a falar mal das politicas do Governo e a dizer que o país vai mal e na direcção errada.

Miguel Frasquilho, enquando administrador do BES, fez um sucesso dos diabos na Bolsa de Nova Iorque, ao “elogiar a economia portuguesa” perante investidores americanos. Frasquilho “enfatizou o crescimento das exportações, sublinhou o défice e um desemprego abaixo da média europeia, concluindo que Portugal está bem colocado para ter um papel positivo na economia mundial nas próximas décadas.

Se se mantiver a teoria de que se acredita mais nos gestores que nos políticos…

{ 4 comentários… lê abaixo ouadiciona }

1 F Santos 22 de Outubro de 2009 às 15:38

Pedro,

Sabes há quanto tempo ele teve esta intervenção?

E outra coisa: tu és PS e funcionário de uma empresa: se o governo de Portugal fosse PSD e fosses incumbido de vender a tua economia em Nova Iorque, como agirias? Chegavas lá e dizias “invistam, pf, no meu país, que não exporta, não cresce, tem muito desemprego, etc”

Ele foi lá vender a ideia dele, justificar o ordenado que tem. Duvido que abdicasses disso se estivesses na mesma situação.

Responder

2 Pedro Sousa 24 de Outubro de 2009 às 19:01

Caro F Santos,

Pelo que percebo a verdade depende da remuneração… atenção, que nem sequer estamos a falar de afirmações que são parecidas. São afirmações totalmente contraditórias e não existem 2 verdades. Além disso, mesmo como deputado ele tem salário, portanto não percebo o argumento…

Portanto, ou Frasquilho mente enquanto politico ou mente enquanto administrador não-executivo (os deputados julgo que não podem ser executivos). Não há área cinzenta.

Quem pauta o seu discurso político pela (suposta) Verdade tem de assumi-la, não quando lhe dá jeito, mas enquanto praxis. Se esse discurso lhe causa incompatibilidades, tem de renunciar a uma delas.

Responder

3 F Santos 25 de Outubro de 2009 às 19:50

Sabes há quanto tempo ele teve esta intervenção?

Pela afirmação ““enfatizou o crescimento das exportações, sublinhou o défice e um desemprego abaixo da média europeia,” não foi este ano, concerteza.

O que digo é que se ele por acaso pretende que alguma empresa americana invista ou no BES ou onde quer que seja, não pode ir para lá dizer mal de Portugal. Se assim fosse, quando estiveste em NY, devias andar de cabeça baixa, tal é o enterro que por cá se passa ;)
Uma coisa é falar para dentro, outra é vender o país lá fora. Sou dos que acha que este país tresanda, mas se fosse incumbido de o vender no estrangeiro, para meu próprio interesse, usaria de argumentos abonatórios. Não digas desta água não beberei (se bem que és socialista, logo a situação económico-financeira nacional para ti deve estar… espectacular)

Responder

4 F Santos 25 de Outubro de 2009 às 22:18

Só uma achega
da próxima,acho que qualquer elemento do PSD que tenha de vender o país no estrangeiro deve, de facto, usar da verdade. Falar que temos um país pouco competitivo e produtivo, alta taxa de desemprego e que estamos na cauda da Europa em todos os aspectos, excepto, como disse no desemprego.
E deve vender o país assim, como fez Manuel Pinho na China :

” Manuel Pinho apresentou como uma mais-valia os baixos salários praticados em Portugal face à média da União Europeia.

O ministro, que acompanha o primeiro-ministro na visita à China, apelou ao investimento chinês em Portugal argumentando que os custos salariais são inferiores à média da União Europeia (UE) e têm uma menor pressão de aumento do que nos países do alargamento.”
Para te avivar a memória, está aqui: http://economia.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1284175

Como tu dizes, siga o fandango….

Responder

Anterior:

Seguinte: