O efeito Paulo Portas

por Pedro Sousa em 8 de Outubro de 2009

em Arouca

Têm-se debatido com alguma frequência – como é natural – o efeito que terá a candidatura de Paulo Portas à Assembleia Municipal.

Tendo em consideração o decorrido até ao momento, dá para perceber que esta candidatura é totalmente secundária para Paulo Portas. Já em Oliveira de Azeméis onde esteve no fim da década de 90, Paulo Portas era um deputado municipal assíduo, mas nada participativo, a acreditar no relato dos locais.

Tenho também muitas dúvidas que Paulo Portas assuma os problemas de Arouca como “seus”, pois os seus objectivos passam, obviamente, por questões nacionais, enquanto deputado. No entanto, tendo sido eleito por Aveiro terá oportunidade de lutar por Arouca, se assim o entender.

A finalizar, é importante esclarecer que Paulo Portas, tal como todos os candidatos, não se candidata – como se ouve por vezes dizer – a Presidente da Assembleia Municipal. Qualquer elemento candidata-se a membro da Assembleia Municipal. Cabe a esta, na primeira reunião, eleger o Presidente e os Secretários, onde votarão os seus 41 elementos.

Isto significa que existe uma probabilidade muito pequena de que Paulo Portas venha a ser o Presidente da Assembleia Municipal.

{ 6 comentários… lê abaixo ouadiciona }

1 joaquim toscano 9 de Outubro de 2009 às 0:08

“…já em OAz, onde esteve no fim da década de 90, PP era um deputado municipal assíduo…” eh pá tu não tinhas idade pra estar lá e perceber do grau de participação, mas que por Aveiro ele foi dos primeiros a pô-lo no mapa…tirando um outro que fumava charuto e era excelente pessoa, apesar de PS (quanto ao resto da prole e continuidade no aparelho não me pronuncio).
E lembro-me de a tua deputada Rosa (virá daqui essa ficção do Nome da Rosa?) que deve ainda ser prima do A Albernaz de Farminhão, Viseu, que aaté gaaagueja um pouco, …mas a cantar …e se for com o coro da Glubenkian até te passas… pois não te percas; Há quinze anos ela já tinha proposto Arouca a CIDADE. E se não acreditas, pesquisa!

Eu sei muito bem de quem era a velha PA que fez as honras da casa quando o Carlos Candal veio a Arouca por essa altura ao restaurante, era o quê “flor do parque”? ao lado do “Noites Brancas” agora insónia, valium 5, shotócão??? Pá já não sei e a memória ás vezes prega-nos partidas; mesmo assim pergunta ao teu concorrente Zé rodavivagomes do CDS pp (o pp é só prapular à portuguesa).
Quanto ás tuas dúvidas sobre a capacidade do Portas não olvides nunca:
Ele é um grande ilusionista,
Ele é Portas ( e não só Sacadura Cabral)
O seu Mandatário por Arouca é do ramo
Peres Portas de Magalhães (será nome de microcomputador?)
Como já te disse em anteriores posts: vamos, serenamente, convictos e a ver se esta é a democracia que temos!

Responder

2 Pedro Sousa 9 de Outubro de 2009 às 9:02

Caro Joaquim,

A informação sobre a assiduidade e participação de PPortas em OA foi pedida a quem na altura também lá se encontrava, obviamente.

Deixe-me só corrigir que eu não digo que Paulo Portas não tem capacidade (quem sou eu…). É mais uma questão de foco, ou neste caso, ausência dele.

Quanto ao resto… obrigado por me fazer rir logo pela manhã. A sua prosa é sempre interessante.

Responder

3 F Santos 12 de Outubro de 2009 às 13:48

O efeito Paulo Portas, na Assembleia, sentiu-se e de que maneira!!

Responder

4 F Santos 12 de Outubro de 2009 às 15:44

Pedro, uma correcção: são 21 os membros da Assembleia ou 41? Acho que são 21.

E, pós eleições, dada a votação para a Assembleia Municipal, há ou não possibilidades de Paulo Portas ser o Presidente? Se é por votação, a direita vence. Se o CDS teve mais votos, faz sentido que o Presidente da Assembleia seja CDS, certo?

Responder

5 Pedro Sousa 13 de Outubro de 2009 às 8:54

Caro F Santos,

Os elementos da Assembleia Municipal são os Presidentes de Junta (20) e um número de deputados municipais que resulta do número de Juntas + 1, ou seja 21. Assim, no total são 41 elementos.

A eleição de Portas como Presidente da Ass Municipal vai depender basicamente das Juntas e também do posicionamento do PSD.

A título pessoal, e no que depender de mim, procurarei que o Partido mais votado seja o que conquista a Presidência da Assembleia.

Responder

6 F Santos 13 de Outubro de 2009 às 12:08

Ah, ok, mas da eleição directa, para a qual existe um boletim de voto específico, resultam 21 deputados. Os outros 20 são os presidentes de Junta, que resultam de outra eleição. Adiante.

A diferença de votos entre PS e CDS é de 400 votos, o que em mandatos significa o mesmo. PSD e CDS têm maioria na Assembleia. É como dizes: depende do nível de “azia” do PSD na altura da eleição do PAM.

Responder

Anterior:

Seguinte: