From the daily archives:

Domingo, Abril 15, 2012

DESAFIOS DO PS

por Pedro Sousa em 15 de Abril de 2012

em País

“É muito importante que o PS, como partido de esquerda e garante de uma forma humanista de olhar para a sociedade, dos direitos, liberdades e garantias dos cidadãos, obreiro da tolerância e do respeito democráticos, defensor da modernidade e do bem-estar social, se prepare para ser chamado a governar, de novo, em circunstâncias de grande revolta social e penúria económica.

A subida desta maioria ao poder foi resultado, para além de vários erros do governo anterior, como é óbvio, de campanhas de manipulação informativa, de coligações de interesses que se vai mostrando, à medida que se percebem as falsidades de que o governo se serve para impor o seu modelo económico e social. À medida que o tempo passa vão-se desvendando as consequências da política seguida. Se, tal como tantos tinham avisado e como, parece que já o Primeiro-ministro reconhece, o além do memorando não resultar, será muito provável que a agitação e a instabilidade, frutos do desemprego, pobreza e falta de perspectivas de futuro, provoquem a rotura da coligação governamental e a necessidade de novas eleições.

É indispensável que o PS se defina como alternativa, explique o que faria diferente, mesmo respeitando os acordos com os credores, o que reivindicariam e qual a capacidade para conseguir mudar, nacional e internacionalmente, esta Europa imperial.”

Sofia Loureiro dos Santos

{ 1 comentário }

RSI fez “perpetuar a pobreza”

por Pedro Sousa em 15 de Abril de 2012

em País

Quando se ouve o PM dizer, como fez hoje, que o RSI fez “perpetuar a pobreza” (e depois de um primeiro impulso que é vomitar), convém respirar fundo e recomendar ao senhor, ou a quem o assessora, a leitura do Divided We Stand: Why Inequality Keeps Rising (relatório recente da OCDE, é de Dezembro de 2011). Nos dados relativos a Portugal terá informações suficientes sobre a eficácia das prestações sociais (em dinheiro ou serviços) que, no mínimo, o deveriam fazer corar de vergonha… se tivesse alguma, claro.

{ 1 comentário }