O QUE INTERESSAVA ERA CHEGAR AO POTE

por Pedro Sousa em 6 de Abril de 2012

em País

Não me esqueço quão “fácil” era cortar na despesa do Estado quando se estava na oposição… Hoje deve ser bem mais dificil. Até já se congelam as reformas antecipadas quase às escondidas porque as pessoas se estão reformar mais depressa do que o previsto.
Vamos assim manter a trabalhar quem se quer reformar (pessoas cheias de motivação e energia – sendo irónico) e manter no desemprego (ou mostrar a porta da emigração ao) sangue novo. Que dizer desta opção estrategica?

Sérgio Silvestre

Anterior:

Seguinte: