From the daily archives:

Terça-feira, Agosto 11, 2009

SOBRE A VERDADE (LOL) DE MFL – FRACA E INVERDADEIRA

por Pedro Sousa em 11 de Agosto de 2009

em País

«Falando sobre o caso de António Preto, a líder do PSD afirmou que “não foi a única pessoa” a incluir António Preto nas listas de candidatos a deputados e defendeu que se o excluísse estaria a “antecipar-se” em relação à Justiça.
Manuela Ferreira Leite lembrou que António Preto é “alguém que é deputado” e que já é deputado “há mais de uma legislatura“. “Não sou a única pessoa que o incluiu como arguido, já na anterior lista isso foi feito e ninguém disse nada, isso é um aspecto fundamental“, disse.»

Sem disfarces nem camuflagens:

- Uma líder política que tenta justificar a inclusão de Preto desta forma tão enviesada não fala verdade nem advoga a transparência;
- Uma candidata a primeiro-ministro que tenta alicerçar as suas (más) escolhas deste modo intelectualmente tão boçal não tem categoria para formar Governo.

in http://blasfemias.net/2009/08/11/fraca-e-inverdadeira/

Manuela Ferreira Leite disse hoje: “[António Preto] não está acusado de nada no exercício de funções públicas. As leis que falam sobre a matéria são todas exclusivamente relacionadas com actos que alguém tenha praticado no exercício de funções públicas. Não é o caso, são casos de natureza privada sobre os quais eu não tenho que me pronunciar, tenho apenas que esperar aquilo que legitimamente todos devem esperar que é a decisão da Justiça, eu não tenho o direito de me antecipar dando eu a minha própria sentença”.

Marques Mendes escreveu no seu livro Mudar de Vida: “Em democracia a ética não se confunde com a lei. (…) Será que um responsável político – governante, deputado ou autarca – não está politicamente diminuído e fragilizado nas condições para o exercício pleno do seu cargo se sobr ele existirem fundadas suspeitas, por exemplo, da prática de crime de corrupção? Para mim, é óbvio que sim”.

in http://elevadordabica.blogspot.com/2009/08/descubra-as-diferencas.html

{ 4 comentários }

O actual presidente da Câmara Municipal de Arouca e cabeça de lista pelo Partido Socialista (PS) nas próximas eleições autárquicas à edilidade local, Artur Neves, irá apresentar na próxima quinta-feira, 13 de Agosto, a equipa que o acompanhará num próximo mandato, caso venha a ser eleito.

Será pelas 21h30, na sede de campanha, situada na Avenida das Escolas, a qual será inaugurada na ocasião. Apresentados serão também os candidatos do PS à Assembleia Municipal de Arouca. Convidam-se todos os órgãos de comunicação social e todos os arouquenses a estarem presentes.

{ 0 comentários }

Opinião: Uma escolha decisiva

por Pedro Sousa em 11 de Agosto de 2009

em País

O Partido Socialista, cumprindo com seriedade e sentido das responsabilidades o seu dever democrático, apresentou já, publicamente, o seu programa eleitoral. É um programa de ambição e de futuro. Mas é também um programa com prioridades muito claras: vencer a crise, modernizar o País, reduzir as desigualdades sociais.

[...]

Dirigimos o foco da nossa atenção, claramente, para as urgências do tempo presente: superar a crise que veio de fora, relançar a economia e promover o emprego. Mas apontamos, também, o caminho do futuro – de que não podemos desistir – para uma economia mais forte e competitiva: prosseguir o movimento de modernização da economia e do Estado, reforçar as qualificações, continuar a reduzir a dependência energética, valorizar as exportações.

[...]

A pouco mais de um mês das eleições legislativas, o contraste não poderia ser maior. O PS, como lhe compete, apresenta os resultados de quatro anos de reformas que, apesar de todas as dificuldades, permitiram pôr as contas públicas em ordem, retirar a segurança social da situação de alto risco, modernizar e simplificar a administração pública, generalizar o acesso às novas tecnologias de informação, levar a economia portuguesa a uma balança tecnológica positiva, colocar Portugal na dianteira nas energias renováveis, reduzir o abandono e o insucesso escolar, desenvolver o ensino profissional, melhorar os cuidados prestados pelo Serviço Nacional de Saúde e concretizar toda uma nova geração de políticas sociais, que reduziu a pobreza e as desigualdades, aumentou o salário mínimo e reforçou em muito o apoio às famílias.

[...]

Mas a direita não tem como esconder a sua verdadeira face: o regresso ao passado. Quatro anos volvidos, a direita não tem melhor para propor que as mesmas ideias e as mesmas pessoas. Mesmas ideias e mesmas pessoas que, ainda há pouco, em condições bem mais favoráveis, fracassaram totalmente na governação. Falam, por vezes, como se tudo estivesse esquecido. Não: nós sabemos o que a direita fez no Governo passado.

[...]

Os portugueses sabem que sempre puderam contar com o PS nos momentos difíceis. Nós não somos daquela esquerda que se limita a protestar, dispensando-se da maçada de contribuir para a solução de qualquer problema. Estamos bem conscientes de que a nossa responsabilidade é realizar as políticas públicas necessárias para responder aos problemas e às necessidades das pessoas. E é isso que queremos continuar a fazer, com toda a energia e com toda a determinação, com base num novo compromisso. Com confiança nos portugueses e com confiança no futuro.

texto completo no JN aqui

{ 0 comentários }