Do arquivo mensal:

Março 2008

A alunam, a professora e o telemovel II

por Pedro Sousa em 22 de Março de 2008

em Com a devida vénia

Não tenho a certeza, mas julgo que conheço a professora que aparece no vídeo. Se é quem eu penso, gostava de dizer aqui algumas coisas sobre o seu percurso profissional, que está ligado, como é quase inevitável com os professores, a um particular modo de ser.

[...]

A infelicidade desta professora foi estar muitos anos afastada da escola, que entretanto mudou. Durante estes anos o poder político tirou o tapete de debaixo dos pés aos professores. Os que viveram este tempo na escola foram-se adaptando, mesmo em termos de idiossincrasia e carácter, às novas circunstâncias e aos novos alunos. Esta professora não teve oportunidade de se adaptar e caiu de chofre numa escola que não era a que ela conhecia: uma escola em que se tinha invertido a relação de poder entre professores e alunos, uma escola frequentada por jovens provenientes do mundo real, muito diferentes daqueles para quem o actual sistema de ensino foi feito e que só existem na cabeça dos teóricos da educação. Se é a professora que eu conheço, a estas horas deve estar desfeita, enquanto a aluna que a brutalizou se está provavelmente a rir. E isto, não tenho vergonha de o dizer, revolta-me até às entranhas.

daqui: http://legoergosum.blogspot.com/2008/03/professora-brutalizada.html

{ 0 comentários }

Para desmascarar os carrancudos…

por Pedro Sousa em 21 de Março de 2008

em Estado de Espírito

Quem conseguir ver (com som) este video sem rir, ou pelo menos sorrir, faz parte dos sorumbáticos e carrancudos…

Este video foi um dos mais votados em 2007 no YouTube.  A lista está aqui

[kml_flashembed movie="http://www.youtube.com/v/cXXm696UbKY" width="425" height="350" wmode="transparent" /]

{ 0 comentários }

O poder da mente… (com som)

por Pedro Sousa em 21 de Março de 2008

em Estado de Espírito

[kml_flashembed movie="http://embed.break.com/MzY0Mjcw" width="425" height="350" wmode="transparent" /]

{ 0 comentários }

A aluna, a professora e o telémovel

por Pedro Sousa em 21 de Março de 2008

em País

Como o resto do país, fiquei atónito com o video posto a circular na net da professora que tira o telemóvel a uma aluna e esta, histéria, decide lutar por ele.

Ninguém fica bem nesta fotografia, mas claramente a fedelha mimada que decide ter aquela atitude, tem de ser castigada a sério. E como dá para ver, através daquela cena, que os pais em casa fazem um muito mau trabalho na educação da mesma, tem de ser a Escola a fazer dela um exemplo. Sem preocupações sobre o impacto na futuro da ALUNA… quem sabe o sonho dela é trabalhar num call-center de um operador de telecomunicações!!

“Patrícia estava ontem preocupada quanto ao seu futuro. Esperava pela mãe que fora chamada pelo Conselho Executivo para uma reunião. Os desentendimentos com a professora de Francês revelou que não eram pontuais. “Ela implica comigo, mas não sou a única. Já fui para a rua várias vezes, mas também não é sempre”, disse ao CM a estudante”

Veja-se o elevado sentido desta exemplar estudante… já foi para a rua várias vezes, mas não é sempre. Só várias vezes, quer dizer, não é sempre. Umas vezes, mas nem sempre.

Eu sei que é politicamente incorrecto, mas que saudades de mostrar a estes mimalhos o efeito regulador da réguada!!!!

{ 0 comentários }

Onde anda a Direita?

por Pedro Sousa em 21 de Março de 2008

em País

“[a direita] está hoje, aliás, em muito piores condições para governar do que estava há seis anos, quando fez cair e substituiu o governo pantanoso, desgastado e sem liderança do Engº Guterres. Nos três anos que se passaram após a humilhação eleitoral das legislativas, a direita que nos prometera reconstruir-se e reparar os erros do passado agravou consideravelmente o seu estado: líderes sem credibilidade e equipas pior preparadas, completa ausência de ideias

{ 0 comentários }

Esclarecimentos da Ministra da Educação!

por Pedro Sousa em 21 de Março de 2008

em País

Num gesto de democracia com poucos precedentes em Portugal, a Ministra da Educação disponibilizou-se para responder a diversas perguntas enviadas por e-mail.

A ler…

***********************************************************************

Sou professor do 1.º Ciclo do Ensino Básico, numa instituição privada.
Estando eu agregado a uma escola privada, estou habituado a um sistema de avaliação permanente – apesar de informal e sem documentação a sustentar a mesma – e quando soube da intenção do ministério muito me satisfez.
Confesso que ainda senti alguma resistência à ideia, mas é urgente abalar esta corporação em que se transformou o ensino.
Nos últimos tempos tenho ouvido expressões como: “A escola é dos professores” ou “Os professores não são os alunos” – esta frase destinada a sublinhar a estranheza face à mobilização de professores do passado sábado, dia 8 do corrente.
Sinto que o que se passou foi o facto de os bons professores – aqueles a quem esta avaliação interessa de verdade – terem sido arrastados para um clima de insatisfação um pouco devido a uma falta de informação – ou encobrimento da mesma por parte dos sindicatos. Como poderá a Senhora Ministra reverter este quadro? Como trazer de volta os bons professores, os principais interessados nesta avaliação?
Tenho dito sempre que a obrigação do Governo é a de explicar as medidas introduzidas e é isso que tenho procurado fazer em sucessivas ocasiões. Por outro lado, julgo que à medida que as políticas forem mais conhecidas o descontentamento diminuirá: foi assim com as aulas de substituição ou com o concurso de professores. Mas estou também convicta que só quando o modelo de avaliação for posto em prática as suas virtudes serão valorizadas, os professores apropriar-se-ão dele, e tornarão o modelo melhor. A melhoria dos resultados escolares e do funcionamento da escola pública e o aumento da confiança dos portugueses no serviço público de educação poderá, também, vir a ser compensador para os professores.

continua aqui

{ 0 comentários }

Têm entre 17 e 23 anos e são provenientes de : Águas Santas, Baguim do Monte, Ermesinde, Nogueira da Maia (Porto), Escariz (Arouca), Fátima, Alcaravela, Cacém, Algueirão e Monchique.

Ali, tal qual agentes especiais desta “Missão impossível” vão viver o Tríduo pascal e anúncio da Ressurreição do Senhor. (link)

{ 0 comentários }

Estranha justiça, esta…

por Pedro Sousa em 18 de Março de 2008

em País,Repita lá?!?!?!?

Daniel Oliveira, conhecido articulista da nossa praça e soberbo “gerente” do blog Arrastão, foi condenado em tribunal a pagar 2.000 € a Alberto João Jardim, por tê-lo chamado, em artigo no Expresso, “Palhaço Rico”.

Curiosamente, Alberto João Jardim chamou “filhos da p***” e “bastardos” aos jornalistas e continua a pavonear-se por aí, sem pagar multas a ninguém. Acho que se chama a isso imunidade parlamentar… já há muito que, para os lados da Madeira, a vergonha é conceito estranho.

{ 0 comentários }

A nossa educação é a mesma de 1888?

por Pedro Sousa em 18 de Março de 2008

em Com a devida vénia

Fui à estante buscar o Oliveira Martins e abri nos escritos sobre o “estado da educação” publicados em O Repórter, no ano de 1888. Deixo-vos apenas alguns excertos deliciosos:

22 de Junho de 1888
Resta saber que espécie de homens se estão formando nas famosas escolas leigas, e com o ensino estapafúrdio dos nossos liceus. (…)
Este estado de espírito é o dos que, apesar de livres pensadores, acham preferível confiar a educação dos filhos aos jesuítas.
24 de Agosto de 1888
O grande defeito do ensino oficial português está em que os compêndios são maus, os professores piores, e os programas, trasladados das escolas europeias, seriam excelentes por vezes, se não fossem puras hipóteses burocráticas. (…)
… os próprios progressos do ensino são uma nova causa de cretinização. (…)
Um facto universalmente conhecido é a progressiva ignorância das gerações que o ensino oficial vai preparando. (…)
A Indústria dos compêndios escolares viça à custa dos cérebros das crianças e das algibeiras dos pais. (link)

{ 0 comentários }

images.jpgSegundo o estudo de audiências Bareme Rádio 2007 da Marktest, [...] Na região do Entre Douro e Vouga (EDV) apenas a Rádio Regional de Arouca ultrapassa a Azeméis FM. (link)

{ 1 comentário }